Notícias

 

No dia 7 de abril é comemorado o Dia Mundial da Saúde. As comemorações tiveram início em 1948, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) demonstrou preocupação em manter o bom estado de saúde das pessoas no mundo. Segundo a OMS, saúde é o mais completo estado de bem-estar físico, mental e social e não a simples ausência de doença.
Em entrevista ao site do CROMG, o Dr. Arnaldo de Almeida Garrocho comentou a situação da saúde bucal no Brasil, pediu mais investimentos na área e afirmou que só teremos um Brasil melhor se a saúde pública for para todos.

CROMG: Dr. Arnaldo, o Dia Mundial da Saúde foi criado em 1948. Nesses 62 anos, o que mudou na área da odontologia? Dr. Arnaldo: Em termos de Brasil foi um avanço grande. Antigamente, na saúde pública, não tinha nenhuma assistência, a carência era muito grande. Às pessoas tinham como opção a extração dos dentes. Hoje, percebemos que muita coisa melhorou. Temos programas de prevenção contra doenças bucais, as pessoas já têm consciência que a cárie é uma doença passível de prevenção e a assistência odontológica pública oferece mais procedimentos. Por outro lado, infelizmente, a população muitas vezes não tem acesso a uma cobertura ampla. Nem todos os avanços chegam a todas as camadas da população. A saúde no Brasil merece mais atenção e investimentos.  Independente de governo, de quem exerce o comando do País ou do Estado, os nossos políticos precisam ter o amadurecimento e entender que saúde não é despesa, mas investimento. Para se ter uma idéia, nós investimos menos em saúde pública do que países mais pobres como a Argentina, Chile, Bolívia. CROMG: Junto com a criação do Dia Mundial da Saúde foi proposto o debate para a proteção mínima contra doenças e os padrões de vida insalubre. Como esses fatores afetam a saúde bucal? Dr. Arnaldo: Para provermos a saúde com eficiência é importante que, antes de mais nada, as pessoas tenham acesso à educação. Os cuidados básicos só serão desenvolvidos de maneira apropriada com a cooperação da população, só assim a prevenção ocorrerá. É preciso que o indivíduo tenha consciência da importância de fixar bons hábitos. Todos precisam entender que a saúde bucal reflete na qualidade de vida das pessoas. A boca não é só dente. Muitos fatores estão envolvidos e muitas atividades que desenvolvemos no dia a dia, como falar, sorrir, mastigar, dependem da saúde geral da boca. O maior reflexo de qualidade de vida do indivíduo é a saúde bucal. Na constituição brasileira, a saúde é direito de todos e dever do Estado. Então eu queria lembrar uma colega, a Maria Eugênia Tollendal, que diz que faltou complementar que cada Ser também é responsável pela sua saúde. Ou seja é dever do Estado, é direito do cidadão, mas nós também precisamos fazer a nossa parte. A questão é que para que as pessoas façam a parte dela, é preciso que elas tenham consciência e essa consciência só é conseguida pelo acesso à educação.  CROMG: Na opinião do senhor, quais os principais avanços da saúde brasileira nesses 62 anos? Dr. Arnaldo: São muitos os avanços. Na área da saúde infantil os investimentos possibilitaram que muitas crianças hoje não tenham cárie. O nosso grande problema é que as ações preventivas relacionadas à saúde bucal, não tem alcançado toda a população. A distribuição de renda no nosso país é muito perversa. Precisamos, além de investimentos, levar os serviços de saúde bucal para todas as classes sociais. Sem essa consciência, a saúde pública vai avançar pouco no nosso país. CROMG: O senhor cita algum retrocesso?Dr. Arnaldo: O nosso principal retrocesso é a falta de investimento na área. Em 2009, o governo de Minas investiu 0,006% em saúde bucal. O CRO tem denunciado frequentemente essas atitudes. Se continuarmos assim seremos para sempre o país dos desdentados. CROMG: Belo Horizonte e muitas cidades do Brasil promovem anualmente atividades para comemorar o Dia Mundial da Saúde. Esse ano, por exemplo, a Secretaria Estadual de Saúde preparou uma exposição de fotos. O que o senhor acha dessas iniciativas? Dr. Arnaldo: São positivas. As ações despertam o interesse da população e são uma oportunidade de educarmos as pessoas. A pena é que só acontecem às vezes, deveriam ser mais frequentes, mas já é um bom começo. Conheça a Programação em Belo Horizonte De 7 a 20 de abril, de 8 às 18h, a Secretaria Estadual de Saúde promove uma exposição fotográfica sobre os 60 anos da Saúde Pública. A entrada é gratuita. O endereço é Rua Sapucaí, 429. Mais informações: (31) 3247-3700. ...
Leia Mais

Informamos que o prazo final para inscrição no I Fórum sobre o Exercício Profissional da Odontologia no Mercosul foi alterado para o dia 09 de abril. Mais informações: http://bit.ly/cVYq2u

Leia Mais

 

O CROMG em parceria com a UNIVALE promoverá nos dias 20 e 21 de  maio, o I Encontro de Saúde e Terapêuticas Integrativas do Leste Mineiro, cujo objetivo é divulgar as terapêuticas integrativas e complementares nas áreas da saúde geral e saúde bucal, entre elas, Acupuntura, Fitoterapia, Homeopatia, Hipnose. Com uma proposta multiprofissional, o encontro pretende integrar várias áreas da saúde em torno da discussão das PIC - Práticas Integrativas e Complementares, com exposição de pesquisas e avanços no ensino, assim como resultados no âmbito federal e estadual. Conheça a programação:

Dia 20 de Maio – Quinta-Feira  07h30min – Experiência de Práticas Corporais: Grupo Serena Idade Local: Praça Interna UNIVALE Coordenação: Dr. Rodrigo Miranda Pereira  08h00 – Entrega de material e credenciamento  08h30min às 09h40min – Palestra de abertura Medicina Integrativa: conceitos e epidemiologia Dr. Nelson Filice de Barros Professor do Departamento de Medicina Preventiva e Social na Universidade Estadual de Campinas. Mestre e Doutor em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas e pós-doutorado pela University of Leeds.  09h40min às 10h15min – O momento atual das PIC – Práticas Integrativas e Complementares Dra. Marisa P. Socorro Silva – Presidente da Comissão de Terapêuticas Complementares à Odontologia do CROMG  10h15min às 10h30min – Intervalo  10h30 min – Ciclo de palestras Coordenação: Dra. Maria Virginia Cerqueira – Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares Fitoterapia: Dr. Marco Antônio Hudson – Especialista em Plantas Medicinais – Universidade Federal de Lavras Sr. José Rodrigues de Oliveira – Presidente da Associação dos Terapeutas Naturalistas Alternativos na Saúde e Cultura do Brasil Terapia Floral e casos clínicos na Odontologia – Dra. Cristina Helena Cotta de Araújo Batista – Especialista em Terapia Floral pelo Instituto Brasileiro de Estudos Homeopáticos da Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo.  12h00 – Almoço  13h00 – Ciclo de palestras Coordenação: Dr. Renato Teixeira Almeida – Mestre e Doutorando em Fisiologia e Farmacologia pela UFMG Acupuntura – A prática da Acupuntura e a dicotomia oriente / ocidente – Dr. Renato Teixeira Almeida Homeopatia – Conceito e fundamentos, aplicação na Odontologia – Dra. Wânia Trajano – Pós-Graduação em Homeopatia pelo Instituto Homeopático Francois Lamassom Dr. Marco Aurélio Rodrigues Pifano – Médico Homeopata Farmácia – Os diferentes tipos de medicamentos e suas contribuições para as PICs – Dra. Maria Inês Almeida Campos – Especialista em Homeopatia pela Associação Médica Homeopática do Paraná  16h00 – Intervalo  16h20min – Pesquisas com Fitoterapia Coordenação: Dr. Rodrigo Miranda Pereira – Mestre em Deontologia e Odontologia Legal pela USP Estudo da aplicação clínica da Brassica olerácea var. captata na cicatrização – Dr. Moacir de Oliveira Lima Filho Atividade antifúngica contra os fungos do Gênero Trichophyton com ênfase na região de cabeça e pescoço – Dr. Maximillan Leite Santo Dia 21 de Maio – Sexta-Feira  08h00 – Mesa Redonda – Ensino e Pesquisa das Práticas Integrativas e Complementares: desafios e avanços Coordenação: Profa. Érika de Aguiar Miranda Coelho – Coordenadora do Curso de Odontologia da UNIVALE Profa. Kíssila Zacché Lopes  Andrade – Diretora da Faculdade das Ciências e da Saúde FACS Profa. Maria José Ferreira Morato – Coordenadora do Curso de Farmácia da UNIVALE Prof. Vagner Rodrigues dos Santos – Faculdade de Odontologia da UFMG 09h30min – Debate  09h45 – Intervalo  10h00 – Ciclo de palestras Coordenação: Dra. Regina Ceres – Mestre em Ciências Biológicas e Membro da Associação Brasileira de Hipnodontia Hipnose na Odontologia – Dra. Ana Maria Lage Naves – Especialista em Dentística e Saúde Coletiva Dra. Maria Luisa Oliveira de Paula – Especialista em Prótese Dentária  e Pós-Graduada em Análise Bioenergética Posturologia na Odontologia – Dr. José Alvimar Rodrigues Alves – Especialista em Prótese  12h00 – Almoço  13h00 – Experiência de práticas corporais de Cura Prânica – Dra. Maria Virgínia Cerqueira Local: Deck campus da UNIVALE  13h30min às 14h30min  – Palestra Especial  Financiamento e efetividade das PIC no SUS Dra. Carmem de L. Simoni – Coordenadora Nacional das PIC – Ministério da Saúde  Dia 21.05.2010  14h30 às 15h00 – Coordenação de Terapêuticas Não Convencionais (CTNC – SES): Apresentação de trabalho sobre as PIC no Estado de Minas Gerais  15h00 – Intervalo  15h20 – Apresentação de experiências das PIC no SUS Coordenação: Dr. Ricardo Murta – Especialista em Cirurgia Buco-Maxilo-Facial e Referência no Programa Farmácia Viva – SUS – Betim – Prefeitura Municipal de Betim – Prefeitura Municipal de Governador Valadares – Maurino Bertoldo Silva – Coordenador do Curso de Terapia Comunitária e sua inserção na Atenção Básica do SUS – Convênio Ministério da Saúde e Universidade Federal do Ceará – Prefeitura Municipal de Ipatinga 16h40min – Palestra de encerramento – Conselho Federal de Odontologia – Como avançar o uso das práticas integrativas habilitadas pelo CFO.       ...
Leia Mais